sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Feio é ter preconceito

 Eu tenho um gato preto na minha casa, na minha vida, na minha família, no meu coração.
 Objeto do meu afeto, merecedor do meu respeito e do meu amor.
 Fred Astaire Petetecos Martins, abandonado com poucos dias, resgatado quando estava sendo apedrejado numa praça.
 Há seis anos vive seguro e protegido, amado, cuidado e respeitado.
 Um gatinho feliz como todos merecem ser.
 Meigo, doce e carinhoso.
 Em pleno século 21, e tem gente que ainda abre a boca para repetir bobagens. Gato preto da sorte, da amor, da alegria. Azar o seu que é preconceituoso! Que está preso a ideias velhas, ultrapassadas e totalmente  equivocadas.
 Eu tenho um amor em forma de gatinho preto, com o pelo macio e brilhoso, que não perde a chance de demonstrar o amor que também sente por mim.
Fred, obrigada por ser meu filho! Sou mais feliz com você na minha vida!

Já conhece o meu outro blog? Passa lá para ver!

5 comentários:

Suzana Tamassia disse...

eu tenho tanta vontade de beijar essa boquinha preta que vc não faz ideia!!! Doida pra ter um neguinho!!

Calíope Corrêa disse...

Também tenho um preto gostoso desse em casa! <3

Ana Oliveira disse...

O meu Raphael é um lindo, de personalidade marcante e generosa, gato preto azar de quem não tem. Beijos, adorei o post.

Ângela disse...

Gato lindo e sortudo de ter uma mãe assim!

Karina disse...

Fred, que lindo! Espero mesmo que as pessoas deixem de lado essas ideias sobre gatos e, principalmente, gatos pretos.
Beijos