sábado, 27 de fevereiro de 2010

Finalmente, de volta!


Depois de vários dias fora, cheguei de viagem!
Estava louca de saudade de todos e curiosa para ver qual seria a recepção que eu teria. De fato não foi das melhores, todos estavam tristes comigo!
Quando abri a porta eles começaram a chegar se espreguiçando e abrindo os olhinhos com sono. Demoraram um pouco para acordar, cheguei 3 e meia da madrugada...
Fui tentar dar beijos e abraços e ninguém quis chegar muito perto, estavam desconfiados... o primeiro a vencer a desconfiança, foi o Vincent. Nem acreditei! Peguei no colo e ele ficou esfregando a cabecinha no meu ombro. Esse meu filho é mesmo cheio de surpresas!
Depois foi a Camille e o Henri. O Fred chegava perto, me cheirava, mas fugia. O Frank só olhava de longe, muito sério.
E o Mel? Cadê o Mel?
Nada de encontrar o mel. Já estava ficando nervosa por não achá-lo. Depois de procurar por 40 minutos, e eu moro num apartamento pequeno!, mandei uma mensagem para a Kika. " Cadê o Mel?" .
Já estava imaginando que ele tinha piorado e precisou ser internado e não tinham me contado para não me preocupar ou que ele tinha fugido. Entrei em pânico com a ideia de não vê-lo mais.
Caí em prantos. Continuei procurando até que um hora depois ele saiu do esconderijo, que eu até agora não sei qual é, e foi deitar emabixo da minha cama. Na décima oitava vez que procurei lá, ele apareceu!
Como eu fiquei louca com isso!
E o pior, de madrugada, não podia ligar para ninguém!
Eu sei que com a confusão toda, só consegui ir dormir às sete e meia da manhã, estava acordada há mais de 24 horas, cansada, exausta.
O Frank foi deitar comigo, mas eu não podia encontar nele. O Fred, depois de rodar muito e de ficar inquieto, acabou vindo deitar e dormimos juntos.
Quando acordei falei com o meu irmão para saber como tinham sido os dias aqui em casa. Ele disse que o Frank sofreu muito. Ficou todo estranho e passava a maior parte do tempo deitado em cima da minha toalha no banheiro, ou então correndo atrás dos outros. Quando conversei com a Nádia, ela disse que o Frank a seguia pela casa como se estivesse tomando conta dos movimentos dela.
Ah! Esse meu Franconildo Chatonildo! Como ele é difícil! E o pior, como ele sofre com esse jeitinho de ser!
O Bruno disse que nos últimos dias ele até aceitou carinho, coisa que nunca acontece. Ele não deixa que ninguém o toque, só eu. E por esse jeito de ser, ele é tomado por antipático... o Bruno ficou com pena dele. Disse que ficava peto e falava que eu já estava chegando...
O Mel melhorou da boca e a Nádia o deixava preso durante um tempo no meu quarto para que ele pudesse comer sem ser importunado pelos outros. Agora que eu voltei estou fazendo uma operação engorda nele. Ele já melhorou um pouco, mas ainda está magrelinho.
Ele participa bem da rotina da casa. Ainda tem medo do Fred e do Frank, mas encara os dois. Tem me seguido pela casa desde que eu voltei. Não mudou nada comigo, me deixa acariciá-lo e pegá-lo no colo. Sinto que ele gosta de ganhar carinho. Já entende alguns comandos e me acompanha quando eu o chamo.
Os outros já estão como antes. Com eles é sempre mais fácil.
Ainda tenho um mês até viajar novamente, espero que até lá o Frank aceite melhor o Mel e que o Mel recupere o peso, se sinta mais seguro e feliz.

Um comentário:

Claudia disse...

Que loucura o Mel ter ficado tanto tempo sem aparecer!
Eu teria ficado apavorada tb.

Viajei 10 dias e quando voltei, os dois, o Alemão e a Jean, não paravam de miar. Vinham atrás de mim e ficavam miando, como quem reclama.
Acho que eles estavam bem chateados... com toda razão.
bjs e uma ótima semana